A Páscoa

A Páscoa


A Páscoa
Muito antes de ser uma festa cristã, o que se celebrava no momento da Páscoa era o anúncio do fim do Inverno e a chegada da Primavera.
Para os antigos, festejar a Primavera (tal como a Páscoa) sempre representou a alegria da passagem de um tempo escuro e triste para um mundo iluminado, de vida nova na Natureza. Era uma espécie de renascer.
Nesta estação do ano, os antigos povos pagãos europeus homenageavam a Deusa “Ostera”, ou Esther que era a Deusa da Primavera, que segurava um ovo na mão. A deusa e o ovo eram símbolos da chegada de uma nova vida.
Estes antigos povos comemoravam a chegada da Primavera decorando ovos. Mas o costume de os decorar para dar de presente na Páscoa surgiu na Inglaterra, no séc. X.
O rei Eduardo I tinha o hábito de banhar ovos em ouro e oferecê-los aos seus amigos e aliados.
A oferta de ovos manteve-se até hoje e de várias formas.
A Páscoa (do hebraico Pessach, significa passagem) é um evento religioso cristão, normalmente considerado pelas igrejas ligadas a esta corrente religiosa como a maior e mais importante festa da cristandade. Na Páscoa, os cristãos celebram a Ressurreição de Jesus Cristo (vitória sobre a morte) depois da sua morte por crucificação.
A celebração começa no Domingo de Ramos (quando Jesus entra em Jerusalém e é aclamado com ramos de palmeira) e acaba no Domingo de Páscoa (com a Ressurreição de Cristo): é a chamada Semana Santa.
A data da Páscoa foi fixada pela Igreja no ano 325, de modo a “cair” no domingo mais próximo da primeira Lua Cheia do mês lunar que começa com o equinócio da Primavera.
Com esta definição, a data da Páscoa varia de ano para ano, sendo, em limite, entre 22 de Março e 25 de Abril, transformando a Páscoa numa festa “móvel”.
Este ano 2018, a Páscoa ocorrerá a 1 de Abril.
Em hebraico, existe a “Pessah”, “Páscoa Judaica”. É uma das mais importantes festas do calendário judaico, que é celebrada por oito dias e comemora o “êxodo” dos israelitas do Egipto durante o reinado do faraó Ramsés II. Trata-se de um ritual de passagem da escravidão para a liberdade.
A festa tradicional associa a imagem do coelho, um símbolo de fertilidade, e os ovos pintados com cores brilhantes, representam a luz solar, dados como presentes. A origem do símbolo do coelho vem do facto de que os coelhos são notáveis pela sua capacidade de reprodução. Como a Páscoa é ressurreição, é renascimento, nada melhor do que os coelhos, para simbolizar a fertilidade.No Mundo das Tropelias, aproveitamos as férias escolares da criançada para, entre muitas brincadeiras, lhes explicar o significado da Páscoa e por que é que a Páscoa nunca calha no mesmo dia todos os anos, “criamos” coelhos, galinhas e ovos da Páscoa em diferentes tamanhos e executamo-los com os mais diversos materiais e desenhamos e pintamos desenhos alusivos a esta época festiva.
Mundo das Tropelias

 

Sobre o autor

Equipa do Mundo das Tropelias administrator

Deixar uma resposta